Lotação: 6 leitores em pé e 4 sentados


8.6.09

Da série: os que não sei porque demorei tanto pra ver




Para quem não sabe, o cabo-de-guerra da minha preferência esportiva é disputado por futebol x basquete. Então, falar de um filme sobre um jogador de um deles é um tanto, digamos, parcial. Mas finjam que não leram isso, tem gente bem pior que eu na imprensa. Ao que interessa: Jake é um cara que cumpre pena por homicídio. Jesus é seu filho, o melhor jogador de basquete [high school] do país, se formando no colégio e diante do dilema do próximo passo a seguir na carreira. O diretor da cadeia onde Jake puxa cana oferta um trato, caso consiga influenciar a decisão do guri, terá condicional antecipada. He Got Game é assim, uma crítica ao produto que virou o esporte, contada através da relação entre os dois, que nesse contato vão ser forçados a confrontar um passado complicado. Dirigido por Spike Lee, outro aficionado pela bola pesada e por criticar a sociedade em que vive. Tem Denzel Washington, o pai em conflito, mais uma vez muito bem no papel. O prodígio é Ray Allen, atualmente jogador do Boston Celtics, recém-saído da faculdade e jogando muita bola, que não faz feio como ator coadjuvante. Pelo contrário, vai muito bem na interpretação. E mais um punhado de jogadores e técnicos, fazendo pontas ou sendo eles mesmos. Obviamente uma bonitinha pra enfeitar, a namorada do moço e Rosario Dawson. Bem ordinária a moça também. O final só que um pouco diferente do resto do filme, tipo novela da globo, porém não compromete. O mais intrigante pra mim é que, mesmo sabendo muita coisa deste filme, ouvindo a trilha [tenho um CD do Public Enemy que tem a faixa-titulo] e gostado, nunca assisti. Graças a outro amigo basqueteiro, que me emprestou o DVD, está feita a cesta, de chuá.

;]

3 comentários:

Periférico disse...

Não esquece o DVD pro meu bródi, cabesss.

Abraço!

Daniel disse...

keep with me that i`m left-handed.

Periférico disse...

Hahahahahaha!


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons