Lotação: 6 leitores em pé e 4 sentados


31.3.09

O guri frustrado

Pegou a mochila, escolheu as camisetas mais legais, juntou dois pares de tênis, protetor solar, havaianas pretas. Colocou tudo dentro junto com o óculos de mergulho que ganhou da avó, a bola de futebol americano e o canivete que sempre o acompanhava, ainda mais quando tomava o rumo do desconhecido. Ficou pronto para esperar o tio e ir para o tal camping. "Camping", só a palavra já intrigava. As 5 horas de viagem passaram mais rápido do que 5 minutos, pois ele e o primo iam brincando, cantando e se distraindo com toda a informação que entrava pela janela do carro. Chegaram. Tudo era igual ao que estava no panfletinho que o tio tinha mostrado. Muito verde, campo de futebol, piscina, a praia perto e várias crianças com diferentes sotaques para ajudar a tirar o máximo de proveito desse monte coisas legais.
Ficou feliz até o exato momento que ouviu uma conversa. O tio falava pra tia: "temos que mandar ele embora. amanhã?" e ela concordava balançando a cabeça. O ônibus o levaria de volta, numa sexta-feira que fecharia a primeira das duas semanas de acampamento. Tentou entender o que estava acontecendo, mas os 13 anos só conseguiram explicar que o tio havia se arrependido, por algum motivo, do convite. Dinheiro provavalmente, mas qualquer quantia seria pouca diante do valor da presença dele ali. Meu tio não gosta mais de mim - sentenciou. Em uma fração de segundo pensou em convidar o desalmado para uma partidinha amistosa de futebol americano, onde o acertaria disfarçadamente, até sair sangue e cessar a respiração. Ou um mergulho para apreciarem o fundo do mar, onde despretensiosamente entregaria um cilindro de oxigênio sem quantidade suficiente para retornar a superfície. E se pegasse o canivete, quieto como a noite, colocando calmamente o tio para dormir pra sempre dentro da barraca laranja. Foi embora assim, se sentindo um uma compra por impulso voltando para o balcão de devoluções.

Ali nascia um assassino, filho do próprio tio.

:]

6 comentários:

Mônica disse...

Acabei de escrever um post agora sobre o quanto próxima de me tornar uma assassina eu estou. :)

Anônimo disse...

Nossa, um guri tão lindinho e querido, com olhos azuis de anjo, disfarce deum assassino ???

Duro de acreditar ;)
Bjo, Blue

Old Friend disse...

Chorei pelo guri. E em seguidas dei boas risadas. ;) Beijo

Márcio disse...

Me consegue um cigarrinho desses?

Daniel disse...

pq? os meus são mais fracos que aqueles que tu fuma antes de dormir.

Marcelo disse...

Bah, me fez recordar do acontecido!!!
Pelas outras histórias do "Guri", dá prá ter uma idéia dos reais motivos da "devolução"...
Teu tio e tua tia passaram a te chamar de "terremoto"!
Ah, lembrei ainda do "bailinho" perto do camping, em que vc encontrou uma namorada, e do curto-circuito na armação de ferro da barraca!


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons